Fábrica de mentiras

do Vale do Café ao Arco do Triunfo

R$89,00

Em estoque

Fábrica de mentiras

R$89,00

ISBN: 9786559053179 REF: 9786559053179 Categoria:

O que liga as fazendas do Vale do Café, no interior do Rio de Janeiro, ao Arco do Triunfo, na Paris da Belle Époque? Em seu novo romance, Luiza Lobo percorre a distância que vai das arcaicas formas de trabalho escravizado e casamentos por interesse e parentesco, numa sociedade
de estamento, até a moderna e ousada vida da milionária Eufrásia Teixeira Leite em Paris. No exterior, ela escapa dos liames patriarcais do casamento e das limitações de uma sociedade retrógrada, e passa a multiplicar a herança paterna, adquirida no Vale do Café, comprando ações internacionais na Bolsa de Paris.

Após ampla pesquisa, a autora acompanha a vida dos fazendeiros do vale do Paraíba do Sul, com especial foco nos descendentes do barão de Vassouras e do clã Teixeira Leite, desde a vida agrícola nas antigas fazendas da província do Rio de Janeiro, no Brasil imperial, até a mudança para a capital da República, ou Paris.

A história das diversas famílias de imigrantes europeus que se ligam às famílias locais é esmiuçada, assim como os conflitos ideológicos e amorosos que surgiram ao longo das gerações, como os da relação de Eufrásia Teixeira Leite com o abolicionista e monarquista Joaquim Nabuco, mas não só. As primas de Eufrásia, deixando o ambiente agrícola do vale do Paraíba do Sul, após a abolição e a Proclamação da República, formam novos núcleos no centro urbano do Rio. A sociedade oscila entre monarquismo e republicanismo, democracia, integralismo e comunismo, cristianismo, racismo ou liberalismo. Aos poucos, o poder deixa de ser tão patriarcal, e as mulheres esboçam, lentamente, o exercício de sua autonomia, vivendo a experiência do trabalho feminino, a defesa do sufragismo e novas relações familiares. Já sem a fortuna oriunda da agricultura do passado, exercem atividades de trabalho remunerado e de artesanato, ou produzem obras intelectuais. Mas, ainda fechadas as portas das universidades para elas, a possibilidade de bons empregos praticamente inexiste, enquanto os homens da família destacam-se na Engenharia
e nas Belas-Artes.

Longe da realização das utopias do século XX, esse novo tecido urbano constitui uma vida social otimista e movimentada, mas não isenta de injustiças, consistindo, muitas vezes, numa verdadeira fábrica de mentiras.

 

Número de Páginas

Ano

Formato

Edição

Selo

Este site usa cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.